Recrutando Voluntários para o Grande Grupo

Você se lembra de quando você era apenas uma criança e um líder se levantava para ensinar na igreja? Eles eram tão monótonos. Eles seguravam uma pasta e liam a história bíblica para o grupo com pouquíssima paixão e entusiasmo. Talvez eles paravam entre cada frase, o que parecia levar em torno de 10 minutos.

Espere.

Espere um segundo (som de disco riscado).

Não, você não se lembra dessa época por causa da maneira que ensinavam.  Na verdade, é um milagre que você ainda esteja na igreja. Deus certamente é bondoso!

Aqui está uma coisa importante: se quisermos que as crianças se lembrem das histórias bíblicas e das verdades da Palavra de Deus, é importante que não as apresentemos de maneira que façam elas cair no sono. A apresentação deve ter energia e paixão, fazendo com que as crianças se engajem, ficando envolvidas do início ao fim.

Você pode estar dizendo: “Eu quero isso, mas como encontro as pessoas certas?” Quando você está recrutando, muitas vezes só tentamos olhar em volta da igreja para encontrar as pessoas que não estão servindo em nenhum lugar. Nós quase nunca iniciamos uma conversa com uma pessoa que não conhecemos pedindo para ela servir. No entanto, quando se trata de recrutar alguém para estar no palco na frente de um Grande Grupo, realmente não deveria ser tão difícil. Em vez de procurar as pessoas que só não estão servindo, procure as pessoas que exalam os traços que você deseja. Essas pessoas geralmente se destacam. Elas são extrovertidas, amigáveis, às vezes barulhentas, tipicamente riem muito e, naturalmente, têm energia e paixão em tudo o que elas fazem. Procure pessoas que mostrem esse presente dado por Deus em vez de alguém para preencher uma necessidade.

Observe a diferença:

“Ei José, eu estava pensando se poderíamos conversar sobre você liderar o Grande Grupo”.

Ou

“Ei, José, notei algo sobre você. Você sempre é tão positivo, divertido e é ótimo quando você está por perto. Você parece apaixonado e tem tanta energia. Você já pensou em permitir que Deus usasse esses pontos fortes no palco? Acredito que você seria um Superstar na frente das crianças. “

Quando você se aproxima de alguém, comece a apontar os pontos fortes dele, e como você pode ver Deus usando esses pontos no ministério.

Faça uma lista dos dons e pontos fortes que você precisa para o cargo. Quando você começar a procurar os dons, ao invés de preencher buracos, você começará a ter mais sucesso encontrando as pessoas certas para o lugar certo.

Este artigo foi traduzido originalmente da pagina  http://orangeblogs.org/252basics/large-group-recruiting/em (inglês) por Eder Bizutti e revisado por Sergia Kelling (dia 8/março/2018)

 

Construindo Confiança Com Os Pais Como Um Líder de Pequeno Grupo

Inerentemente, ser um líder de pequeno grupo leva em si muita responsabilidade. Você está sendo confiado a poucos pelo menos uma vez por semana e mais tarde alguns mais, especialmente quando eles vão crescendo. Isso não é algo que alguém deveria fazer de qualquer jeito. Existe uma quantidade incrível de confiança e compromisso que precisam entrar nesses relacionamentos. E por mais influência que você tenha, em última análise, você não é os pais deles. Você não tem a palavra final para essas jovens vidas. Então, como você poderia cuidar e nutrir a relação com os pais, para que você possa continuar a falar à vida de seu pequeno grupo?

Comunicação
É importante que seu pequeno grupo entenda que podem confiar completamente em você. Mas também é importante que os pais deles saibam isso. Separe um tempo para comunicar suas expectativas e suas intenções com eles. Certifique-se de que eles sabem que você sempre irá informá-los se houver algum tipo de situação grave e fatal, mas eles precisam confiar em sua discrição e entender que você está tentando construir confiança também. Eles precisam ter a certeza de que você não irá privá-los de nada desnecessariamente. Também é uma boa idéia informá-los sobre os seus planos de passeios, encontros, festas de aniversário, etc., independentemente da idade do seu pequeno grupo! Os pais de crianças de Ensino Médio apreciam a comunicação tanto quanto os pais dos alunos do Ensino Fundamental I e II. Certifique-se de que você não está guardando segredos quando se trata de como você lidera seu pequeno grupo.

 

Conexão
Quando você se casar, você deve aceitar a família do seu parceiro como a sua, mesmo que essas relações nem sempre sejam fáceis. O mesmo vale para o seu pequeno grupo. Você está ligado com os pais das crianças, queira você ou não! Não ignore isso. Em vez disso, faça um esforço e aproveite o tempo para se conectar com eles. Considere reunir-se com os pais de vez em quando, ou, pelo menos, regularmente mandar mensagens através de e-mail ou texto. Deixe-os saber que você ainda está por perto, e lembre-os de que você está lá pelos filhos deles. Tente planejar uma excursão de pequeno grupo com as família e onde todos são convidados. Dê aos pais  oportunidades de saberem e participarem dos assuntos nos quais você está trabalhando com o seu pequeno grupo. Dentro do possível, faça tudo o que puder para incluí-los e ajudá-los a permanecerem conectados ao grupo, permitindo que essa confiança cresça entre os pais e você.

 

Cuidado
Você pode se comunicar e tentar se conectar durante todo o dia, mas se você não está fazendo isso com cuidado genuíno, todo esforço será perdido. A comunicação deve ser feita com bom senso, e ainda sim não exageradamente. Às vezes, precisamos lembrar que a bondade e o cuidado tomam um longo caminho para que se possa construir uma boa conexão com as pessoas. Mostrar que se preocupa com os pais dos seu pequeno grupo é uma das coisas mais simples e profundas que você pode fazer por elas. Recordar nomes, aniversários, marcos familiares e outras informações também contribuem para mostrar o quanto você se importa. Essas pessoas são mais do que apenas um nome da sua lista. Eles têm que lidar com os filhos deles diariamente, tomando decisões difíceis e passar por situaçōes que você nem pode imaginar. Mostre empatia. Aprenda a amar e respeitar papel deles.

Em última análise, você ocupa grande parte do poder aqui. Com certeza, você irá lidar com alguns pais difíceis. Mas você só pode controlar a si mesmo e a sua resposta à situação em questão. Não estrague as coisas pela forma como você se comunica, conecte-se ou se preocupe com os pais de seu pequeno grupo . Arregace as mangas e faça tudo o que puder para gerar confiança.

 

Este post foi originalmente escripo por por David Clark | 19 de outubro de 2017 e traduzido e adaptado para o português por Mateus Amorim. 

Empoderando e Capacitando Sua Equipe de Voluntários

Formigas. Por toda parte. Olhei ao redor da sala de aula e podia sentir o pungir das lágrimas se formando. Esta seria uma manhã agitada.

Eu já sabia semanas atrás que hoje seria desafiador e fiz tudo o que estava ao meu alcance para preparar minhas equipes para o sucesso. Era um feriado  prolongado, o que significava que muitos voluntários estavam na praia ou nas montanhas com suas famílias. (Mas estávamos cobertos, eu havia chamado casais como reforços). Nosso predio da igreja, que muitas vezes era alugado por outras organizações bem-intencionadas, estava cheio de pequenas bailarinas e dançarinos de sapateado em menos de 24 horas, e eles definitivamente deixaram sua marca. Tinha purpurina por todo lado. (Mas, como havia dito, não era problema. Eu tinha contratado um serviço de limpeza e eu trouxe meu próprio aspirador de pó de casa para dar um toque final.)

No entanto, quando abri aquela sala (a sala não havia sido tocada por brilhos e vestidos de bailarinas) e vi as trilhas de formigas vermelhas trabalhadoras que passavam por toda superfície plana, meu coração afundou. “Ai não!” Eu sussurrei. O voluntário que estava de pé atrás de mim ofegou e murmurou discretamente: “Eu percebi semana passada na porta. Eu contei pro outro membro da equipe. Mas eu acho que eles esqueceram. “

O Problema Que Você Não Vê Chegando
Você já esteve tão afobado, tão irritado que você poderia sentir seu rosto fervendo? É exatamente isso que senti naquele momento. Poderíamos ter corrigido o problema a qualquer momento nos últimos sete dias. Tinha até um spray de formigas não-tóxico debaixo da pia daquela mesma sala. Como nós nos encontramos nesta situação? As próximas palavras do voluntário derrubaram minha frustração. “Eu sinto muito. Você é tão precisa que tive medo de me intrometer no trabalho de alguém se eu resolvesse as coisas sozinho. Você preferiria que eu pulverizasse as formigas ou dissesse para que você pudesse pulverizá-las?”

Imediatamente, percebi o meu erro. Nós deixamos de atender as expectativas das famílias que servimos porque eu tinha negligenciado empoderar os membros da minha própria equipe para identificar soluções viáveis ​​e tomar decisões imediatas. Eu tinha micro-administrado tanto meu ministério ao ponto de deixá-lo em um mal funcionamento. Eu tinha construído uma base instável. Minha necessidade de controle roubou dos membros de minha equipe sua confiança e limitou sua capacidade. A ironia da situação foi o quanto eu confiava em minha equipe. Eu tinha recrutado pessoas incríveis com várias habilidades e aptidões. Eles eram totalmente capazes de executar com excelência, mas meu medo de cometer erros e de ser rotulado como inadequado tinha sufocado nosso sucesso.

A Solução Para O Problema Que Você Não Vê Chegando
Enquanto minha voluntária cruzava os pés apreensiva ao meu lado e assistia as trilhas das formigas passando pelas paredes, reconheci as mudanças que eu tinha que fazer. Nos meses seguintes, lentamente, liberei o forte nó que amarrava meu ministério e, intencionalmente, tomei medidas para fortalecer minhas equipes.

Minha abordagem empregou essas três estratégias:

Fale Vida e Incentivo
Para que os voluntários se levantem e assumam a responsabilidade, eles devem trabalhar a partir de um ponto de clareza e confiança. Além disso, eles devem saber que você acredita neles e confia neles para identificar soluções e tratar assuntos difíceis. Evite ditar listas de tarefas e supervisionar as pequenas coisas. Mostre seu apoio proferindo palavras de vida e encorajamento. Ofereça sugestões e permita que eles tomem as rédeas.

Defina Expectativas Claras
É impossível medir quando você não é familiarizado com a fita métrica. Os membros da sua equipe devem conhecer e entender suas políticas e procedimentos, bem como suas expectativas colocadas sobre eles. Ensine-os como você pensa. Treine-os através do seu processo de tomada de decisão. Expectativas claras abrem espaço para responsabilidade e o crescimento.

Elogie O Progresso,  E Não A Perfeição
Ninguém acerta o tempo todo. Se a perfeição fosse um pré-requisito para o ministério, todos nós estaríamos sem um trabalho. Em algum momento, alguém correu o risco com você: eles lhe deram mais responsabilidade do que você provou ser capaz de carregar. Ainda assim, você perseverou e Deus o usou para avançar Seu reino. Agora é sua vez. Há voluntários em sua equipe que são capazes de mais. Encontre formas de entregar as rédeas e levantar líderes. Elogie o esforço, não resultados, elogie o progresso, e não a perfeição.

Capacite Sua Equipe e Cresça
No ministério familiar, o empoderamento é fundamental. Todos os fins de semana, os pais confiam seus corações a você e aos membros da sua equipe. Eles entregam seus filhos por uma hora ou duas e têm fé que sua maior prioridade é cuidar deles. Os voluntários que entendem a visão e os princípios orientadores do seu ministério e que agem em confiança a partir deles não só satisfazem expectativas, como também conseguem formar conexões significativas.

Você sente que seu ministério está parado? Em caso afirmativo, considere o peso que você está carregando. A sua expansão e crescimento estão limitados pela sua atual capacidade pessoal? Talvez seja hora de correr o risco e delegar responsabilidades a membros capacitados e empoderar sua equipe.

Quer saber mais?
Para saber mais sobre os “porquês” e “comos” de empoderamento/capacitação, confira Do not Quit, o novo livro por Jessica Bealer e Gina McClain, disponível agora no DontQuitBook.com.

 

Este post foi originalmente escripo por Jessica Bealer em inglês em orangeleader.org em  Oct 30, 2017  e traduzido e adaptado para o português por Mateus Amorim. 

3 Dicas para Organizar Pequenos Grupos

Você tem líderes de pequenos grupos que não perderiam por nada o tempo precioso com as crianças no domingo? Esse tipo de relacionamento não acontece apenas ao dar um título a um voluntário ou até mesmo criando novas atividades aos domingos.  Para ter o máximo de impacto, é preciso ter uma estratégia para criar pequenos grupos intencionais, ter um líder consistente e ter o mesmo grupo de crianças toda semana.

A nossa tarefa é fornecer um espaço seguro onde as crianças possam encontrar sua “tribo”. Os amigos com os quais nossas crianças passam o maior tempo influenciarão suas decisões para a vida. Sem um plano sólido, nossa programação pode correr o risco de parecer um caos organizado ao invés  de um ministério intencional de pequenos grupos. Aqui estão três dicas para ajudar a maximizar a estrutura de seus grupos, para que os relacionamentos possam crescer.

1. Organize-os
Para igrejas com mais de um culto, um cadastro de pequenos grupos irá encorajar os pais a escolher um horário de culto para trazer consistência a seus filhos e maximizar o impacto. Depois de receber o cadastro, você pode atribuir uma criança à um líder de pequeno grupo ao invés de uma “sala”. Isso permite que você crie listas de grupos para seus líderes, comemore aniversários e aprofunde relacionamentos.

Para igrejas menores ou com um único culto, use uma abordagem mais “orgânica”. Coloque ganchos perto da entrada do seu ministério e coloque 10 crachás de várias cores, para representar cada pequeno grupo. Uma vez que esses crachás foram distribuídos durante o check-in das crianças, esse grupo de cores está em capacidade máxima. As crianças gravitarão organicamente para o mesmo grupo semana após semana. Quando isso acontece, você pode tornar a atribuição “oficial” com uma lista de grupos conforme mencionado no método de cadastro.

* DICA: Certifique-se de comunicar (várias vezes) aos os pais sobre quem são os  líderes do pequeno grupo de seus filhos. Existe uma grande probabilidade, de que seu filho ou filha não fará esse comunicado. (Sim, estou falando por experiência, como mãe de meninos!)

2. Mantenha-o pequeno
O tamanho ideal de pequenos grupos são de 8-10 crianças para 1 líder. Se um pequeno grupo crescer além de 10 crianças de forma consistente, multiplique o grupo em 2 novos grupos. Se um grupo tiver mais de 12 crianças em um domingo, divida o grupo naquele dia para ajudar seu voluntário a não se sentir sobrecarregado. A partir de 12 crianças fica muito difícil gerenciar e será muito frustrante para o líder do seu pequeno grupo. Considere dividir seus pequenos grupos por gênero para as 3º, 4º e 5º séries. Dependendo do número de crianças, você pode precisar de um grupo de meninas de 3º, 4º e 5º séries ou grupo de meninos para manter a proporção de 1: 8-10.

3. Dê aos visitantes uma experiência diferenciada.
Especialmente para igrejas com mais de um culto ou grupos com mais de 50 crianças, considere uma experiência diferenciada de pequenos grupos para seus visitantes ou para crianças que não estão conectadas de forma consistente a um grupo. Isto é, a criança é registrado para um pequeno grupo para uma hora específica mas por várias razões aparece em horários diferentes.

Esses líderes de pequenos grupos diferenciados devem dar uma atenção  especial aos visitantes e então investir um tempo extra para se conectar com eles.  Estes líderes também podem monitorar quem está vindo consistentemente semana a semana, o que os ajudará a determinar quando formar um outro pequeno grupo a partir daquele grupo.. (Nota: Os convidados podem acompanhar seus  amigos no grupo deles também).

A maneira como você organiza os pequenos grupos pode ajudar a elevar a sua mensagem de que é importante ser consistente.

Eu adoraria ouvir o que vocês pensam sobre isso! Comente abaixo como você organiza seus grupos.

Níveis de Parceria com os Pais

Feito por Stephanie Porter

Um diferencial chave sobre a estratégia PENSE LARANJA é a  parceria intencional com os pais. Nós chegamos a conclusão que temos aproximadamente 40 horas para investir na vida das crianças em nosso ministério a cada ano. Os pais, por outro lado, possuem aproximadamente 3.000 horas para influenciar suas crianças em um ano.

Como líderes do ministério de crianças, nós gastamos inúmeras e incontáveis horas para que o domingo seja a melhor hora da semana de cada criança. Nós também oramos, montamos uma estratégia e perdemos o sono com o dilema de como ajudar os pais a entenderem que o que acontece na semana é mais importante do que aquilo que acontece no domingo.

Como equipar as famílias para que se tornem vencedoras durante a semana?

Como ajudar os pais a enxergarem a si mesmos como os primários e mais importantes líderes espirituais?

Como nós podemos encorajar e equipar os nossos pais?

Eu penso que é inacreditavelmente fácil cultivar uma Atitude de “tanto faz” e perder aquilo que é mais importante em nosso ministério.

Cada pai é um parceiro de nosso ministério. Eles não estariam em sua igreja se eles não o fossem. Mas, os pais são seus parceiros em níveis diferentes. Abaixo se encontra um guia do “PENSE LARANJA” do Reggie Joiner, que o ajudará a ver de maneira mais clara os diferentes níveis de parceria com os pais.

  • Consciente – Pais estão preocupados sobre alguma situação ou desenvolvimento particular. Estes pais não estão muito envolvidos com a igreja, mas estão abertos e estão interessados em se tornarem pais melhores. Eu ainda não conheci pais que não têm interesse em melhorar. 
  • Envolvido – Um relacionamento básico ou intermediário com sua igreja. Mesmo que seja somente trazendo suas crianças para a igreja, estes pais estão tomando passos na influência espiritual de suas crianças. Esta é a situação de quase a maioria de suas suas famílias – faça questão de ver isto como uma VITÓRIA! 
  • Engajado – Pais que estão comprometidos na parceria com a igreja. Eles estão crescendo no relacionamento com Deus e assumem alguma responsabilidade pela liderança espiritual em seu lar. Estes pais talvez estejam servindo em seu ministério, ou em algum outro ministério de outra igreja, eles mesmos são comprometidos em participarem de um pequeno grupo, e são os pais que são mais frequentes nos cultos. 
  • Investidor – Pais que são devotos e proativos na  parceria com a igreja. Eles entendem a estratégia de seu ministério e estão em comunhão com grupos de pais cristãos. Este deve ser o alvo: Conduzir os pais através do investimento de uma parceria com sua igreja e ministério.

Muitas vezes a diferença entre  níveis pode proporcionar  algo a mais. Por exemplo, você pode conduzir um pai de informado a envolvido com o evento “Experiência em Família” no qual eles trazem toda a família. Ou um pai envolvido para um pai engajado, simplesmente promovendo o “Parent Cue App” e assim proporcionar o diálogo entre pais e filhos, sobre a sua fé, a história Bíblica semanal e como podem aplicar aquilo que aprenderam – ambos, pais e filhos.

Uma vez que você identifica como os pais fazem a parceria com o seu ministério, você pode conduzi-los para o próximo passo com um alvo estratégico. Guarde em sua mente que em fases diferentes, os pais estarão mais conectados e envolvidos do que em outras, e uma grande maneira de mantê-los conectados é ajudando-os a entender os marcos de desenvolvimento e eventos importantes que uma criança experimenta.

Também, não coloque seu foco em apenas um nível de parceria.Tente alcançar todos os pais e considere o nível de envolvimento em que eles se encontram quando você fizer seus eventos ou enviar algum material.

Agora você e seu time podem começar a fazer a medição e os ajustes necessários para saberem como as famílias fazem a parceria com seu ministério e assim desenvolverem os próximos passos de maneira bem clara – para que eles possam ser conduzidos para o próximo nível. Existe alguma maneira diferente e criativa em que você poderá passar a visão para eles? Existe um plano para equipar cada família com a oportunidade de passar da fase de envolvidos para engajados?

Para mais ideias de como conectar e  engajar os pais contate um de nossos especialistas. Lembre-se: duas influências combinadas são muito mais fortes do que duas influências.

Crianças Pequenas e o Início do ano. Você está pronto para isto?

Feito pela equipe 252Basics / dia 6 de Setembro de 2017/ Como fazer

Este é um novo ano escolar e isto significa um grupo novo de pré escolares e de crianças de primeiro ano no seu ministério infantil. Aqui estão algumas idéias que poderão ajudá-lo a começar da maneira da maneira certa.

1. Conheça as suas crianças: Para as primeiras semanas, conhecer suas crianças precisa se tornar prioridade antes mesmo de começar a seguir o currículo e de cobrir todas as atividades:

  • Aprenda os nomes de cada criança e aquilo que atrai cada uma – aprender os nomes e alguma coisa divertida sobre cada uma mostra que você se importa com ela desde o começo

Deixe que elas o conheçam – conte para elas histórias engraçadas sobre você e sobre a sua infância. Fale para elas sobre a sua família. Deixe-as entrar no seu mundo e assim confiar em você

2. Estabeleça limites: A primeira série traz um barril de mudanças para as        crianças da pré-escola, mesmo na igreja. Nas salas da pré-escola, elas tinham tempo livre para brincar e brinquedos por toda parte. Agora, elas se encontram em um círculo, possivelmente ao lado de outros círculos (os pequenos grupos). Esta é uma grande mudança.

  • Dê sugestões: Isto tudo é novo, então tenha certeza que você está comunicando sempre o que elas irão fazer, isto é, cada atividade. Diga: “Agora é o tempo do grande grupo. Vamos caminhar até a sala do grande grupo e vamos cantar e ouvir a história Bíblica”, etc.  
  • Comunique as regras de maneira clara: Elabore algumas regras simples de serem lembradas mantendo-as sempre. Eu estou envolvida em um programa de educação cristã e nós temos três regras simples:
  1. Respeite a Deus – aponte para o céu
  2. Respeite um ao outro -aponte para os lados, para as crianças ao seu redor
  3. Respeite a igreja – aponte para o chão

É fácil você redirecionar um comportamento quando você tem regras pré-determinadas que são fáceis de serem lembradas e repetidas.

3. Esteja preparado: Leia o guia do Pequeno Grupo três vezes antes do domingo e pense em um plano de ação. Pré-escola/Primeiro Ano são crianças agitadas, por isso que você deve estar muito bem preparado! Venha mais cedo para a Igreja e prepare seu espaço para os pequenos grupos. Faça um lista do material necessário e coloque seu material na ordem em que será usado. Assim tudo estará em sua mão na hora em que você precisar.

  • Estabeleça o espaço em que cada criança irá sentar – Escreva o nome das crianças em pedaços de cartolina e coloque onde cada uma irá sentar (do lado de fora do círculo). Isto pode ajudar as crianças a saber para onde ir (e espero que fiquem ali) e também lhe ajudará a lembrar o nome de cada uma. É impressionante como a simples instrução de “sentar no círculo” pode fazer com que você não perca seu tempo
  • TRANSIÇÃO! – Nada pode matar um momento importante mais do que você ter que ficar virando as páginas do seu material escrito para saber o que vem pela frente, qual é o próximo passo. Certifique-se de onde você quer chegar, para que você possa fazer a transição das atividades de uma maneira gostosa e tranquila. E se seu grupo não estiver conectado com aquela atividade, mude para a próxima
  • Cativar  a atenção das crianças – No lugar de levantar a sua voz para falar, mais alto do que as crianças, abaixe a sua voz, cada vez mais baixinho…Pare e espere até que cada uma esteja escutando. Lembre-se que esta é a fase do “Olhe para Mim”, aquela em que as suas crianças têm uma porção de coisas para dizer e cada uma irá falar, mesmo que outras estejam falando. (Esta é uma boa hora para voltar para as suas regras e dizer: “Vocês estão lembrando? Nós respeitamos uns aos outros! Um espera o outro para falar)  

Quais são as suas dicas prediletas para liderar seu grupo de crianças no início do ano? Nós gostaríamos de ouvir as suas ideias e saber da sua experiência

Pare de recrutar e comece a reter voluntários

VOLUNTÁRIOS…

Quem são estes ETs? São pessoas do outro mundo?

Voluntários são pessoas FORA DO NORMAL!

Quem tem coragem de trabalhar a semana toda, pegar transito, chegar tarde em casa e no domingo acordar cedo para cuidar e ensinar os filhos dos outros, sem ganhar salário?  Com certeza, voluntários são pessoas fora do normal!!

Quem trabalha duro como voluntário e ainda aparece no outro dia para fazer tudo novamente? E ainda, contagia  outras pessoas com esta “doença” para fazer a mesma coisa que eles fazem? Voluntários são pessoas fora do normal!

VOLUNTÁRIOS SÃO PESSOAS FORA DO NORMAL – EXTRATERRESTRES – QUE SE PREOCUPAM EM FAZER UM TRABALHO ETERNO E QUE SABEM QUE O PAGAMENTO É FORA DESTE MUNDO!

Voluntários são pessoas que buscam um propósito maior para as suas vidas. Para eles, servir ao próximo trás uma alegria que “não tem preço”!

Quem não gostaria de  fazer do mundo um lugar melhor?

Pessoas algumas vezes, dão as próprias vidas por um sonho um objetivo maior, um chamado de Deus para as suas vidas – prestem atenção nos nossos heróis!

A pessoa que entende o valor do que está fazendo e serve no lugar certo, sabe que está fazendo diferença.

Mas como atrair estas pessoas fora do normal?

1. Apresentando a elas uma causa onde realmente vale a pena acordar cedo e gastar suas vidas.

Você como líder, qual é a sua causa, o seu chamado? O que faz o seu olho brilhar e seu coração bater mais forte?

Quando você está  apaixonado pelo seu chamado, naturalmente você transmite isto aos outros. Peça para Deus  lhe apaixonar mais e mais pelo sonho que Ele colocou em seu coração. Medite neste sonho, pense nos resultados e na mudança que esta causa irá gerar neste mundo e para a eternidade. Aquilo que lhe apaixona irá apaixonar outros. Ore e “vá à caça de talentos” – busque por pessoas que irão ajudá-lo a realizar este sonho.

2. Desafiando lideres de áreas para contagiar e atrair voluntários na área em que cada um deles tem seus dons espirituais e pontos fortes. Nosso ministério, nossa causa , muitas vezes possui diversas áreas. Lembre-se, que você como líder, não possui todos os dons. Onde eu tenho meu ponto fraco, o outro tem seu ponto forte. Você não vai ser tão eficiente para conquistar um voluntário numa área em que você não é tão forte. Você precisa lideres de áreas para contagiar e atrair voluntários na área em que cada um deles tem seus dons espirituais e pontos fortes.

3. Fazendo convites pessoais  que irão abençoar mais a pessoa do que a causa.

Faça convites pessoais  e lembre-se que  80% das pessoas não sabem por onde começar. A maioria das pessoas sente que a necessidade é tão grande que acham que nunca vão conseguir resolver o problema do ministério – estas pessoas nunca começam. Como líderes, devemos encorajar  as pessoas a começar em algum lugar.

Convide-as para servir em um ambiente divertido e com propósito, no qual irão entender que aquilo que  fazem é crucial para que a missão da organização seja  alcançada. Ex: Vidas salvas, vidas transformadas.

Como manter seus voluntários

1.  Cuidando deles com AMOR

Nós fomos feitos a imagem de Deus e Deus é amor. O voluntário é uma PESSOA, uma PESSOA que tem emoções, problemas e desafios na vida.

2. Provendo todo material  que irão precisar para realizar o trabalho.

3. Promovendo o crescimento pessoal

Mostre para seu voluntário que você se preocupa com ele como pessoa e com seu crescimento espiritual.

4. Comunicando o tempo todo

Informe e faça perguntas – promova pequenas reuniões semanais para repassar a visão que Deus lhe deu. Pessoas precisam saber PORQUE estão fazendo aquilo e qual é o resultado de tudo isto.

5. Promovendo relacionamentos

Promova o sentimento de pertencer – o voluntario está a busca de relacionamentos e de propósito. Cabe a nós, lideres, dar a eles a oportunidade de servir em grupo. Faça encontros divertidos, cheios de humor e comida.

6. Treinando para o sucesso

Dê a cada pessoa a oportunidade de se desenvolver no seu mais alto potencial dentro da sua organização – o objetivo não é USAR as pessoas para o que você está precisando. O objetivo é desenvolver a pessoa. Prepare treinamentos específicos para cada área  e coloque pessoas que Irão “andar junto” com seu novo voluntário – nunca deixe um novo voluntário sozinho.

8. Agradecendo e encorajando

Quem não gosta de saber que o que esta fazendo é algo importante? Quem não gosta de saber que fez algo bem feito e que aquilo irá causar uma diferença eterna? Todos nós precisamos de palavras de encorajamento freqüentes que nos ajudam a prosseguir, mesmo que o caminho seja difícil!

9. Mostrando interesse

Quando nos interessamos pela vida pessoal do voluntário, este se sente amado e não USADO! É importante fazer perguntas sobre a família, trabalho, saúde e oferecer orações e ajuda pessoal.

10. Mostrando os números

Celebrando cada vitória alcançada, vidas transformadas e a diferença que o trabalho deles esta fazendo.

11. Permitindo que façam parte do processo e das decisões

Voluntários que participam sentem-se proprietários e não locatários – proprietários cuidam, pintam, consertam.

Como multiplicar seus voluntários

1.Multiplicando líderes

O líder  que está a busca de seguidores, faz com que a sua organização  pare de crescer – o seu ministério irá crescer na medida em que você multiplica líderes.

É bem mais fácil conseguir pessoas que seguem a sua liderança do que conseguir outros líderes. Pense um pouco: Você lidera a sua organização e você tem um time de voluntários – todos reportam pra você e precisam de você o tempo todo. Primeiro, você está limitando a sua organização de crescer e segundo, você morre na praia.

A sua energia, deve ser direcionada para levantar outros lideres nas diferentes áreas de seu ministério. Estes lideres, com seus dons específicos e paixão, irão buscar voluntários para as suas áreas especificas – irão formar seus times.

2. Promovendo mentores

Cada pessoa  precisa ser pastoreada. Somos como ovelhas e precisamos de alguém que cuide de nós e nos dê direção. Não deixe alguém servir em sua causa como se estivesse trabalhando em uma empresa. (Hoje em dia ate as empresas estão preocupadas com o cuidado pessoal de seus funcionários).

Pare de recrutar, comece a reter os voluntários que você tem!

Quem sai ganhando com tudo isto? A comunidade, as famílias, as crianças e os adolescentes. O Reino, e a causa que Deus lhe deu!

JUNTOS SOMOS MAS FORTES!

 

Olá, mundo!

Você já imaginou um encontro de líderes apaixonados por uma idéia revolucionária?

Impulsionados por uma estratégia que acreditam ser a esperança do mundo?

Nós, lideres “alaranjados“, entendemos que a Igreja e a família são duas entidades importantes criadas por Deus, e que juntas, se tornam uma grande potência para influenciar a fé e o carácter da nova geração.

Nosso blog estará repleto de novas idéias, encorajamento, inspiração e informações para todos aqueles que estão envolvidos com o ministério da família.

Agora você já pode sonhar! Junte-se a nós e PENSE LARANJA!!!